O que é formatação, como funciona e quais são os tipos existentes

O que é formatação: , como funciona e quais são os tipos existentes A formatação de um meio de armazenamento é um processo relativamente corriqueiro e bastante difundido atualmente entre a maioria dos usuários, tanto em ambiente doméstico quanto corporativo. Seja um disco rígido, pendrive disquete, etc., o ato de formatar é comumente associado a melhoras de desempenho, bem como a uma possível recuperação de um dispositivo específico. Sua denominação fala por si só: provém de “formato”, ou seja, estipula-se uma maneira exclusiva para abrigar posteriormente dados requisitados.


Acessível a qualquer usuário, os recursos básicos para formatação de um dispositivo podem ser encontrados praticamente em todos os sistemas operacionais. Além disso, existem ferramentas específicas que utilizam diferentes abordagens, as quais visam sanar determinados problemas que possam ser encontrados comumente entre os principais meios de armazenamento. Infelizmente, a formatação de um dispositivo pode sanar problemas lógicos encontrados, mas dificilmente conseguirá resolver erros físicos existentes na superfície do meio (no máximo tentará isolar o problema).

Tipos de formatação

Formatação física: Ao final de um processo de construção de um meio de armazenamento, faz-se necessária uma preparação de sua superfície, para que posteriormente possa receber adequadamente dados de um sistema operacional. Essa é a chamada formatação física, a qual é realizada somente na fábrica que desenvolve o meio especificado. Posteriormente, o dispositivo ainda terá que ser formatado de forma lógica, visando adequar-se ao sistema operacional que abrigará.

Para entender melhor como funciona todo esse processo, imagine um terreno vazio, onde é requisitada a construção de uma casa. A formatação física seria comparável aos elementos estruturais de uma obra: fundação da residência, vigas, pilares, lajes, dentre outros requisitos necessários para dar base fundamental à casa.

Formatação lógica: É o tipo mais conhecido e utilizado por grande parte dos usuários de computador. O meio de armazenamento é estruturado via software, de forma que possa abrigar futuramente informações requisitadas pelo usuário. Ao realizar-se uma formatação lógica, é criado o chamado sistema de arquivos , de acordo com formato estipulado pelo sistema operacional utilizado. Em contradição à formatação física realizada na fábrica, podem-se realizar inúmeras formatações lógicas sempre que necessário, e sem que com isso o meio de armazenamento seja prejudicado (ao contrário do que muitos usuários acreditam).

Pegando-se o exemplo apresentado na formatação física, pense que a formatação lógica utilizará os elementos estruturais criados anteriormente no local para construir a almejada residência: Paredes, janelas, portas, telhado, divisórias, etc.

Na imagem abaixo é apresentado o local onde você pode encontrar o recurso de formatação lógica no ambiente Windows: Em “Computador” (ou “Meu Computador”, caso seja um Windows anterior ao Vista), clicando-se com o botão direito sobre o dispositivo que deseja formatar. No exemplo, é solicitada a formatação de um pendrive.

formatacao2
Recurso de formatação presente no Windows Vista

Uma formatação lógica ainda pode ser dividida em 2 segmentos:

  • Rápida: Somente o índice (tabela de alocação) que referencia os arquivos é apagado, fazendo com que o sistema operacional entenda que o dispositivo encontra-se vazio. Se o meio de armazenamento possuir erros lógicos em sua estrutura, essa formatação não irá garantir que os mesmos sejam corrigidos. Outra característica interessante é que, caso uma formatação rápida tenha sido realizada por acidente, os dados ainda poderão ser recuperados.
  • Completa: Além de apagar o índice mencionado, o sistema operacional varrerá o meio de armazenamento em busca de erros lógicos, corrigindo-os (dentro do possível). Durante a varredura, o sistema aproveitará também para excluir os dados antigos que se encontram nos setores pesquisados. Por percorrer todo o dispositivo, pode demorar muito tempo para ser concluído (dependendo do tamanho do meio, bem como dos erros contidos no dispositivo).Nesse tipo de formatação ainda pode-se enquadrar as chamadas “formatações de baixo nível” (low level format), geralmente disponibilizadas por fabricantes de meios de armazenamento, em especial de discos rígidos. Trata-se de uma forma que busca minuciosamente erros na superfície do dispositivo, justamente pelo fato de ter sido elaborada exclusivamente para os produtos da empresa fabricante (podendo-se inclusive isolar erros físicos contidos na superfície do meio). Comumente são encontrados nesse quesito ferramentas exclusivas, como o “zero fill”, o qual consiste em uma formatação que preenche cada setor do dispositivo com zeros (preza pela confidencialidade, pois assegura que os antigos dados não sejam acessíveis por outras pessoas).

formatacao1

Opção para alternar entre uma formatação rápida ou completa no Windows Vista


Fonte : dinx

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores