Cobrança fraudulosa de proteção contra vírus de computador


Tem pessoas que já acham caro pagar em torno de cem reais por uma geral em seu computador, imagine gastar milhões de dólares por proteção contra uma coisa tão prosaica como um vírus de computador. Isso aconteceu com um músico do estado americano de Nova York que se envolveu num esquema de chantagem digno das histórias de Dan Brown, autor de O Código da Vinci.

Em agosto de 2004, Roger C. Davidson, pianista e herdeiro de uma fortuna deixada pelo seu bisavô, entrou em uma loja de manutenção de computadores levando sua máquina. Estava preocupado que um vírus pudesse destruir todas as composições que estavam salvas no HD – Davidson pode ser um bom músico, mas não conhece nada de computadores.

Ele foi atendido pelo proprietário da loja, Vickram Bedi, que depois de uma análise rápida disse que o problema era tão grave que havia danificado todos os computadores da loja. Com o tempo, Bedi criou uma intrincada trama em que alegava que o problema com o computador colocava em risco a vida de Davidson e de toda a sua família.

Bedi convenceu o pobre Davidson de que o vírus instalado na sua máquina fazia parte de uma conspiração internacional para se infiltrar no governo dos EUA. Através da máquina de Davidson, segundo o trambiqueiro, um misterioso HD instalado em uma vila em Honduras iria permitir a invasão comandada por padres poloneses, ligados à Opus Dei.

Davidson não só acreditou na história como, desde então, pagou algo entre US$ 6 e US$ 20 milhões de dólares para que a empresa de Bedi o protegesse da ameaça.

Bedi e outro comparsa que o ajudou no achaque foram presos nesta semana.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores